CRÔNICAS

Fred Nachef a lenda do tênis bahiano


Fred Nachef
A lenda do tênis bahiano
Fred Nachef começou a jogar tênis em 1968. Seu primeiro mestre foi Antonio Freitas, no Clube Bahiano de Tênis; posteriormente foi treinado pelo Professor Ernesto Petersen.
Tinha que praticar um esporte nas férias. Quem jogava tênis na familia era seu irmão Samir, Fred queria jogar futebol na temporada de férias. Com 8 anos de idade e morando em frente ao Clube Bahiano de Tênis, onde só se podia jogar naquela época de roupa branca , começou a praticar tênis , imediatamente, se apaixonou por esse esporte.
Em meados de 1992, quando Fred Nachef começou a dar aulas no Costa Verde Tennis Clube, de imediato, fiquei impressionada com sua técnica apurada para desferir os golpes. Seu talento era impressionante. De todos os seus golpes o de que mais gostava, era o saque, dificilimo de devolver, muito efeito top spin.
Em 1996, Fred Nachef passou a dar aulas na quadra central do clube. Sempre havia muitos expectadores na arquibancada, assistindo ao seu desempenho. Todos tinham por ele admiração e respeito. Fred, com 14 anos (1974), jogou o torneio brasileiro realizado no Parque Tênis Clube de Pelotas/RS. Na semifinal venceu Cassio Mota/SP ( 48 em Simples da ATP em Duplas) e na final venceu Eleutério Martins/RS (número 171 em Simples na ATP).
No Sul Americano do mesmo ano, no Carrasco Lawn Tennis em Montevidéu, na semifinal venceu Andrés Gomes, do Equador, e na final venceu Fermado Garriolli, da Argentina. No Banana Bowl em 1974, na Sociedade Recreativa de Ribeirão Preto/SP, venceu Cassio Mota. Fred Nachef foi campeão Baiano, na 1ª classe da Copa Cresauto, quando venceu Pedro Silva. No Campeonato Norte Nordeste em Natal/RN, venceu Eddie Pinho/PE. Foi campeão Brasileiro de simples em Pelotas/RS, vencendo Eleutério Martins/RS. Foi campeão Brasileiro de Duplas: Fred Nachef e Marcos Couri, venceram Raul Casal e Eleutério Martins, em 1973. Foi campeão em SP/SP com Jorge Marques, vencendo Cassio Mota e Hugo Scott/SP.
Em 1974, Fred Nachef disputou o Orange Bowl, quando jogou na categoria 16 anos e perdeu na terceira rodada. Devido ao bom desempenho, jogando em uma categoria acima da sua, foi convidado para estudar em Louisiana nos Estados Unidos da América, e, jogando pela universidade, ganharia bolsa de estudos. As universidades americanas levam o esporte muito a sério e dão bolsa de estudos para seus melhores jogadores. Não é o caso do Brasil: nossos atletas não têm oportunidades em nossas universidades. Infelizmente, Fred desistiu da viagem um mês antes do embarque. Lamentávelvente, a prática do tênis em nosso país é muito dificil e, por ser um país de dimensões continentais, o deslocamento é complicado. Os tenistas, para ter chance de treinar com jogadores de melhor performance, encontram dificuldades. Por falta de adversários do mesmo nível, e tambem pela falta de apoio governamental. Basta lembrar o exemplo de Gustavo Kuerten, que, com dezesseis anos de idade em 1992, foi levadp por Larri Passos para treinar três meses na Europa, para perder e sentir o peso da bola de tenistas com excelente nível técnico. Podemos deduzir como foi dificil para Fred Nachef ver os tenistas que ele derrotava com facilidade fazendo sucesso no ranking da ATP e ele fora do Circuito.
Tivemos a chance de vivenciar uma experiêcia muito interessante, quando Waldir Eloy organizou, em setembro de 1995 , a Copa Irmã Dulce, no Costa Verde. Naquela época era muito conhecido um tenista de Aracaju, Jurinha Lobão. Um super campeão. O organizador da Copa convidou Jurinha e Fred para fazerem um jogo de exibição na quadra central. Naquele tempo o clube tinha quadra central onde o Zico Arthur Antunes Coimbra, foi homenageado com uma placa. A comunicade tenística de Salvador criou uma grande expectativa sobre o desempenho de Fred Nachef que estava sem competir havia muito tempo. Jurinha Lobão era de Sergipe. Ele foi o primeiro no Brasil e na América, na categoria Master e foi o décimo, no ranking mundial. Criaram até uma bolsa de apostas, pois o comentário geral era de que Fred estava sem ritmo e que ele não obteria êxito. Surpresa geral: arquibancadas lotadas, Fred Nachef ganhou o jogo exibição por 6x2 e 6x3. Assim foi a bonita trajetória do nosso ícone, a lenda do tênis bahiano.
,
Agda Silva
Paixão pelo tênis
Agosto/2020

Cronista: Fred Nachef a lenda do tênis bahiano

Receba nossos informativos

Nome
E-mail